quinta-feira, 22 fevereiro 2024
- Publicidade -
Banner Topo
28.6 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Ministro do Trabalho projeta criação de 2 milhões de vagas de emprego no 2º semestre deste ano

 

Para falar sobre esse tema e sobre as expectativas para redução do desemprego, o Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, entrevistou o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira.

De acordo com ele, a expectativa do ministério é fechar o ano com 2 milhões de novas vagas de emprego: “Até o primeiro semestre desse ano, até maio, que é o dado que nós temos, já são mais de 1 milhão de novos empregos criados. Nós tínhamos uma previsão em janeiro de 2022 de chegar até o final do ano com 1,5 milhão de novas vagas”

“Se nós temos até maio 1 milhão, com o aquecimento do segundo semestre podemos sonhar com a criação de 2 milhões de novos empregos. Isso é muito importante. A taxa de desemprego do Brasil é a maior no grupo do G20 e a taxa de desemprego chegou a um dígito, saímos dos dois dígitos. Queria enaltecer o fato dos empreendedores e empresários acreditarem no mercado brasileiro”, declarou.

O ministro também esclareceu que o benefício dado aos caminhoneiros será pago a todos que estavam cadastrados na Agência Nacional de Transportes até o dia 31 de maio de 2022 e que cerca de 640 mil motoristas autônomos receberão o benefício. Já os taxistas ainda aguardam a compilação dos dados das prefeituras, que tem até o dia 31 para enviar as informações ao Governo Federal: “A partir de ontem, dia 25, abrimos para que as prefeituras façam o envio do arquivos desses alvarás válidos e dos motoristas que estão com a carteira de habilitação válidas. Já recebemos cerca de 1.474 taxistas desde ontem e o total de 111 prefeituras já fizeram o envio desse cadastro”.

A expectativa, segundo o ministro, é de que o auxílio seja prorrogado em 2023 caso o presidente Jair Bolsonaro (PL) seja reeleito e defendeu a criação dos benefícios: “ele [o presidente] tem trabalhado e fez todas as isenções dos impostos federais que eram possíveis e pediu a todos os governadores também que fosse baixada a questão do ICMS. Mas ainda foi pouco, por isso a necessidade de a gente fazer a PEC com essa preocupação do estado de emergência que se deu por causa do aumento abrupto do petróleo, que é uma coisa que não é da governança do Brasil”.

 “Nós precisávamos criar um subsídio para poder custear e fazer com que as pessoas continuassem trabalhando. Principalmente os caminhoneiros e taxistas. Os caminhoneiros principalmente, porque o modal brasileiro que transporta praticamente 60% de toda a nossa produção é feito por transporte rodoviário. Dai a preocupação do nosso presidente com essa categoria tão sofrida”, explicou.

- Publicidade -
big master

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro de 2024

O desmatamento na floresta amazônica caiu 60% em janeiro deste ano, chegando ao...

Bandido que agrediu vítima ao roubar bicicleta é preso pela PJC de Tangará

A Polícia Judiciária Civil por meio da Delegacia Especializada...

Concursos públicos municipais pagam até R$ 18 mil em MT

Concursos públicos e seletivos com inscrições abertas em Mato...
Feito com muito 💜 por go7.com.br