sábado, 18 maio 2024
- Publicidade -
27.1 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Por que palavrões são considerados ofensivos&#63

Palavrões são uma parte importantíssima da linguagem humana. Inclusive, o aumentativo para “palavra” cai muito bem, visto que os falamos de boca cheia e não são nem um pouco bem vistos pela sociedade — ou ao menos perto de companhias educadas.  

Questão de sonoridade 

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Segundo um estudo publicano no Psychonomic Bulletin & Review, que analisou palavrões em vários idiomas diferentes, a maneira como essas palavras soam ou não pode estar diretamente relacionada ao fato delas se tornarem ofensivas para o ouvido humano. O motivo? A linguagem humana não seria tão arbitrária quanto pensávamos. 

Um exemplo dado pelos cientistas é que muitos idiomas usam o som nasal “n” na palavra “nariz”. A pesquisa também mostrou que os palavrões em inglês usam uma proporção maior de sons p, t e k do que o normal, conhecidos como “fonemas plosivos”. Mas seria isso uma particularidade do inglês? Era preciso ir além na análise.

Busca por padrões

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Durante a busca incessante por padrões entre as palavras mais obscenas do mundo, os pesquisadores pediram para que falantes fluentes de cinco idiomas não relacionados — hebraico, hindi, húngaro, coreano e russo — listassem pelo menos cinco palavrões em seus idiomas, excluindo calúnias raciais.

O estudo não encontrou maior incidência de fonemas plosivos nessas palavras, mas observaram que elas tinham menos probabilidade de incluir sons aproximantes, incluindo os sons de l, r, w e y. As palavras que contêm esses sons, segundo a teoria, podem ser menos “adequadas” para criar uma ofensa. 

Então, os autores do estudo recrutaram 215 pessoas para ouvir pares de palavras em um idioma desconhecido e indicar qual delas era o palavrão. Sem o conhecimento dos participantes, todos os pares de palavras eram imaginários, criados pelos autores para incluir sons aproximantes ou não.

No fim, as cobaias eram mais propensas a adivinhar que as palavras sem aproximantes eram palavrões. “Pode ser que os aproximantes sejam simbolicamente associados à calma e ao contentamento”, destacaram os autores no artigo. Por fim, o estudo conclui que é bem possível existir um padrão universal para o surgimento de palavrões, visto que a sonoridade de certas palavras simplesmente desperta sensações ruins e ofensivas em seus ouvintes. 

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

5 benefícios do chá de canela para a saúde

A canela, um ingrediente presente na culinária há séculos,...

Jogos hoje (18/05/24) ao vivo de futebol: onde assistir e horário

Confira onde assistir ao vivo aos jogos de futebol...

Em vídeo, cantor Zezé Di Camargo enaltece segurança e policiais de MT

Em vídeo, o cantor Zezé Di Camargo prestou breve...
Feito com muito 💜 por go7.com.br