segunda-feira, 20 maio 2024
- Publicidade -
18.9 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Verão: cães podem morrer de calor; saiba o que fazer

 
 
 
 

Em dezembro, tem início, no Brasil, o verão e, assim, as altas temperaturas. Com isso, os cães podem, literalmente, morrer de calor.

Segundo Camilli Chamone, geneticista, consultora em bem-estar e comportamento canino e criadora da metodologia neuro compatível de educação para cães no Brasil, a maior parte dos donos de cachorros se preocupa com o inverno e se o peludo está passando frio, mas é o calor que merece atenção.

 

“Os cães regulam a temperatura do corpo através da respiração. Eles respiram para eliminar ar quente de dentro do organismo e inspirar ar frio. Porém, dependendo do calor, isso é impossível, pois o ar externo já está muito quente e eles não conseguem resfriar seu próprio corpo”, detalha.

 

O cuidado precisa ser ainda maior com raças de focinho achatado, como pug, buldogues (francês e inglês), shitzu, lhasa apso e boxer, pois esses cães têm ainda mais dificuldade em regular a temperatura do próprio corpo e podem fazer um quadro de hipertermia em poucos minutos.

 

Sinais de alerta

Segundo Chamone, o primeiro sinal de alerta em altas temperaturas é o animal ficar muito ofegante, com a língua para fora de forma intensa.

 

O quadro de hipertermia (aumento da temperatura do corpo) se agrava progressivamente quando a língua muda de cor, passando de rosa para tons arroxeados. “Se o roxo se intensifica, a situação está piorando, com exceção para as raças chow chow e sharpei, pois a língua desses cães já é naturalmente roxa”, complementa Chamone.

 

Depois vem outros sintomas, como engasgo, vômito, diarreia e desmaio. “Neste cenário, o peludo não consegue mais regular a temperatura do corpo sozinho, e seus órgãos literalmente passam a cozinhar por dentro”, alerta a consultora.

 

Ações

Para evitar o quadro de hipertermia, Chamone traz recomendações importantes:

 

1- Evitar passeio entre 10 e 16 horas. “Por serem os horários mais abafados, o asfalto pode até queimar as patas. Ainda assim, não deixe de passear com ele no verão (e em nenhuma outra época do ano) – o ideal é ir bem cedinho, ao amanhecer”, reforça.

 

2- Deixar a água sempre fresca, em potes. “O cachorro precisa submergir a língua na água para matar a sede; por isso a água é à vontade, em potes largos e de fácil acesso, jamais em bebedouros conta-gotas”.

 

3- Evitar tosas. “O pelo é um isolante térmico, tanto do frio como do calor. A tosa tira essa proteção natural e só traz ainda mais calor ao animal. Se quer diminuir os pelos, o ideal é aparar com uma tesoura, sem nunca descobrir a pele”.

 

4- Ter atenção ao ambiente do cão. “Não é só passeando que o cachorro entra em quadro de hipertermia. Se ele fica na varanda ou no quintal e bate sol, ou trancado dentro de casa sem ventilação, ele pode morrer de calor mesmo estando parado”. Por isso, o ideal é mantê-lo em ambientes frescos, à sombra, com ventilador ou ar condicionado, se não houver vento que refresque.

 

5- Caso o cão esteja muito ofegante, tire-o imediatamente de onde está e leve-o para um ambiente fresco. “Se necessário, molhe-o com água de mangueira, em temperatura ambiente, por exemplo – é uma forma artificial de diminuir a temperatura do corpo rapidamente”, explica.

 

6- Se ele já estiver num quadro grave de hipertermia, busque ajuda na clínica veterinária mais próxima. “Depois de molhá-lo, para reduzir a temperatura do corpo, tente transportá-lo o mais rápido possível e corra! Nestes casos, minutos fazem a diferença”, registra a consultora.

 

Ter conhecimento e agir no preventivo podem salvar a vida de um cachorro e trazer um verão mais seguro para toda a família.

 

Contatos da assessoria

Adriana Arruda

Jornalista (Unesp), Doutora em Ciência, Tecnologia e Sociedade (UFSCar), Especialista em Jornalismo Científico (Unicamp)

Telefone: +55 16 99992-1414

E-mail: [email protected]

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Arrombamento em relojoaria de Tangará: Polícia prende 3 e recupera objetos

Na madrugada desta segunda-feira, 20, uma relojoaria localizada no...

Percentual de analfabetos não reduz em Mato Grosso em 5 anos

A quantidade de pessoas analfabetas ficou estável em Mato...

Há 10 anos, Polícia Federal invadia todos os Poderes em Mato Grosso

Há exatamente 10 anos, Mato Grosso amanhecia como destaque...
Feito com muito 💜 por go7.com.br