sábado, 24 fevereiro 2024
- Publicidade -
Banner Topo
24.4 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Vírus da varíola dos macacos se mantém em superfícies por mais de 20 dias, aponta estudo

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos divulgou um estudo que mostrou que o vírus da varíola dos macacos pode permanecer vivo em superfícies por até 20 dias após o contato com os infectados

A descoberta foi feita após uma análise de uma casa em Utah, estado no oeste dos EUA, onde moravam dois pacientes diagnosticados com a doença. Foram analisadas amostras de 30 itens da residência e 70% delas apontaram a presença do vírus ativo

A contaminação foi confirmada no vaso sanitário, interruptor de luz, alça de pia, corrimão e mouse de computador. Já entre os objetos porosos, o patógeno foi encontrado em coisas como sofá, cobertor, espreguiçadeira e cadeira de escritório. A pesquisa feita no controle remoto da TV, na maçaneta da porta do banheiro e no termostato apresentou resultados inconclusivos.

Segundo o responsável pela pesquisa, Jack Pfeiffer, do Serviço de Inteligência e do Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Utah, não há evidências de que os vírus encontrados sejam transmissores da monkeypox, mas existe a possibilidade. 

“A incapacidade de detectar vírus viáveis ​​sugere que a viabilidade do vírus pode ter decaído ao longo do tempo ou por inativação química ou ambiental. É preciso avaliar a presença e o grau de contaminação da superfície e investigar o potencial de transmissão indireta do vírus da varíola do macaco em ambientes domésticos”, afirmou Pfeiffer. 

O CDC divulgou recomendações para a desinfecção das casas dos pacientes contaminados e pediu atenção aos visitantes após o período de isolamento. Durante o período de isolamento, o órgão sugere que as pessoas limpem e desinfetem os espaços que ocupam regularmente para limitar a contaminação doméstica. 

Após o isolamento, a ordem de higienização indicada é:
– Contenção geral de resíduos: recolher e guardar em um saco selado quaisquer resíduos sujos, como bandagens, toalhas de papel, embalagens de alimentos e outros itens de lixo em geral.
– Lavanderia: reunir roupas e lençóis contaminados antes que qualquer outra coisa no quarto seja limpa. Não agitar os lençóis, pois isso pode espalhar partículas infecciosas.
– Superfícies duras e utensílios domésticos.
– Móveis estofados e outros móveis macios.
– Carpete e piso.
– Depósito de lixo.

A sugestão é que a própria pessoa que teve a varíola do macaco se responsabilize pela higienização, inclusive na lavanderia. 

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Hamilton Braga, coordenador do Núcleo de Política)

- Publicidade -
big master

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Sucuri vista na Amazônia pode ser a maior do mundo

Uma nova espécie de sucuri-verde pode ter sido descoberta...

O Sermão da Montanha: Jesus nos pede para amar nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem

Sábado 1 da Quaresma Evangelho Mt 5,43-48 «Ouvistes que foi dito: ‘Amarás o...

24 de fevereiro: Promulgação da 1ª Constituição Republicana

A Promulgação da Primeira Constituição Republicana do Brasil é celebrada no...

Feijão cozido com maça de peito

Ingredientes 500 g de maça de peito, 2 copos...
Feito com muito 💜 por go7.com.br