quinta-feira, 13 junho 2024
- Publicidade -
Dengue
20.9 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

MT – Bloqueios provocam falta de produtos e elevação de preços

Bloqueios rodoviários promovidos por bolsonaristas causaram desabastecimento e elevação de preços de produtos em Mato Grosso. Majorações que terão repique no índice inflacionário mensal. Alimentos e combustíveis ainda estão em falta em diversos estabelecimentos no Estado. Os produtos disponíveis foram repassados aos consumidores com altas de até 60%, em alguns casos.  

No Mercado do Porto em Cuiabá, diminuiu a oferta de hortifruti e carnes, enquanto os preços seguem trajetória oposta. Feirantes afirmaram ter pago mais caro por verduras e legumes desde a última segunda-feira, 31, quando iniciaram as obstruções que chegaram a afetar 18 pontos das rodovias federais BRs 364, 163, 070, 174 e 158, além das rodovias estaduais MTs 100, 130 e 358.  

Para garantir o produto aos clientes, os feirantes pagaram até 60% a mais pela couve-flor, que custava R$ 5 e subiu para R$ 8 a unidade no atacado. Tomate encareceu 26,3%, passando de R$ 95 para R$ 120 a caixa (20 kg). Cebola teve alta semanal de 50%, de R$ 80 para R$ 120 (20 kg), detalha a feirante Soraia Maria de Oliveira. “Produtos como tomate-cereja não conseguimos comprar. Talvez tenha para segunda-feira (7)”, diz ela. O feirante Mateus da Silva também enfrentou dificuldade na reposição de produtos. “Ficamos sem na terça-feira. Não tinha estoque e os preços do tomate, cebola e batata subiram”, reforça.  

“Para gente não mudou nada porque tínhamos estoque, conseguimos armazenar abacaxi, laranja e melancia”, comenta a feirante Cláudia Maria Curti Garcia. De acordo com ela, a melancia teve majoração de 130% na semana que antecedeu os fechamentos de rodovias, decorrente de diminuição na produção em São Paulo.   Presidente da Associação dos Permissionários do Terminal Atacadista de Cuiabá (Apetac), Marilda Giraldelli relata que após o resultado do 2º turno das eleições o fluxo de caminhões no terminal atacadista diminuiu cerca de 90%, passando de uma média de 30 para 3 veículos por dia. Na sexta-feira, 4, após a suspensão da maioria dos bloqueios rodoviários em Mato Grosso, a movimentação de cargas ainda era mínima.    

“O abastecimento começou a voltar. Mas ainda faltam batata e cebola”, exemplifica, confirmando a elevação de preços. “Repolho, por exemplo, que custava R$ 35 agora está R$ 50 a caixa (alta de 42,8%)”.  

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Feito com muito 💜 por go7.com.br