segunda-feira, 20 maio 2024
- Publicidade -
21.5 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Cesta básica: quase todos os itens tiveram alta e muitas despensas ficaram vazias

Os gastos com alimentação aumentaram em janeiro e fizeram com que a cesta básica chegasse ao valor de R$ 811,07 em Cuiabá. O valor é referente a primeira quinzena de janeiro de 2023 e se comparada a quinzena anterior, última de dezembro de 2022, representa R$ 31,38 de aumento. Em percentual, o reajuste foi de 4,02%.

Conforme o indicador, elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio Mato Grosso (IPF-MT), dos 13 produtos avaliados, 85% teve algum tipo de alta, com destaque para os derivados de leite, arroz e batata.

Vale lembrar que a lista de itens avaliada para se construir o indicador não é a mesma da cesta básica que compramos no mercado. Isso porque, ela considera alimentos básicos da alimentação do brasileiro, entre eles, os perecíveis.

Índice também considera alimentos perecíveis com a carne, frutas e verduras. (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Salvo algumas peculiaridades regionais, o índice da cesta básica geralmente é composta pelos seguintes produtos:

  • Carne;
  • Leite;
  • Feijão;
  • Arroz;
  • Farinha;
  • Batata;
  • Tomate;
  • Pão;
  • Café;
  • Banana;
  • Açúcar;
  • Óleo;
  • Manteiga.

Afinal de contas, o que aumento ?

Conforme análise do Instituto, o valor atual é o maior da série histórica, que se iniciou em março do ano passado. Tal condição pode estar atrelada não só ao complexo cenário produtivo dos itens da cesta, como também a tendência de crescimento nos preços com as festividades de fim de ano, com uma maior movimentação nos supermercados.

Além disso, os fatores climáticos continuam a impactar diretamente as tendências de preços de muitos itens da cesta básica, como o caso da batata e da manteiga, que sofrem constantes crescimento no preço, e do leite, que tem registrado diminuição no valor.

“O preço do leite em queda, de -5,93%, é muito promissor à sua cadeia produtiva, assim como a queda do tomate (-4,38%), que pode contribuir para um menor crescimento do item no longo prazo”, explicou o superintendente da Fecomércio-MT, Igor Cunha.

Com relação ao produto derivado do leite, como a manteiga – que apresentou alta de 16,46% –, o encarecimento dos insumos relacionados à alimentação do rebanho pode ser um dos fatores que impactam no crescimento do valor do produto, assim como o clima e o comportamento do cenário internacional.

Entre os produtos que apresentaram maiores altas no levantamento, o arroz se destaca com alta de 26,85% na comparação com o levantamento anterior, chegando ao maior valor já apurado desde março de 2022, de R$ 5,41/kg. Já a batata, a alta é de 19,97% entre as semanas apuradas, saindo de R$ 6,35/kg para R$ 7,62/kg, em média.

(Com informações da Assessoria)

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Arrombamento em relojoaria de Tangará: Polícia prende 3 e recupera objetos

Na madrugada desta segunda-feira, 20, uma relojoaria localizada no...

Percentual de analfabetos não reduz em Mato Grosso em 5 anos

A quantidade de pessoas analfabetas ficou estável em Mato...

Há 10 anos, Polícia Federal invadia todos os Poderes em Mato Grosso

Há exatamente 10 anos, Mato Grosso amanhecia como destaque...
Feito com muito 💜 por go7.com.br