terça-feira, 18 junho 2024
- Publicidade -
33.1 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Casos de dengue crescem 123% em MT, com quase 30 mil registros este ano

 

O boletim epidemiológico de dengue, chikungunya e zika divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) aponta que o Estado possui quase 30 mil casos prováveis de dengue notificados em oito meses. Além disso, 17 óbitos já foram confirmados e dois estão sob investigação.

A quantidade de casos registrados surpreende quando analisamos os números do ano passado. Em 2021, foram 13.256 casos prováveis registrados. Em comparação com 2022, houve um crescimento de 122,95%, mantendo o estado com classificação de risco alto para a doença devido aos 29.555 casos notificados.

Entre os municípios com mais registros, Sinop se mantêm na primeira posição, com 2.134 casos de dengue no decorrer deste ano. Seguindo a lista, Tangará da Serra aparece com 833 casos e Cuiabá com 588. Várzea Grande foi a única cidade a apresentar redução: de 182 no ano passado para 166 casos neste ano.

Já com relação à zika, Mato Grosso registrou 166 casos neste ano. O número é 28,75% menor que o registrado em 2021, quando 233 pessoas foram infectadas pelo vírus. Cuiabá foi a cidade que apresentou mais casos de zika, com 6; em seguida aparecem Sinop, com 5, e Várzea Grande, também com 5.

Também causada pela picada do mosquito Aedes aegypti, a chikungunya teve 361 casos registrados neste ano. Cuiabá também aparece como o município que mais teve casos: 18 no total, seguido de Várzea Grande, com 7, e Sinop, com 2.

INCIDÊNCIA

De acordo com o documento, as regiões com classificação de alto risco para dengue, com incidência maior/igual a 300 casos por 100 mil habitantes em Mato Grosso são: Colíder, Sinop, Diamantino, Pontes e Lacerda, Peixoto de Azevedo, Juara, Barra do Garças, Rondonópolis, Porto Alegre do Norte, Tangará da Serra, Alta Floresta e Água Boa.

SINTOMAS

Dengue, zika e chikungunya são doenças transmitidas pelo mesmo mosquito e seus sintomas são semelhantes: em geral, elas provocam febre, dor de cabeça e manchas vermelhas pelo corpo. Mas alguns poucos sintomas as diferenciam. No caso da dengue costuma haver uma dor atrás dos olhos. Já a chikungunya pode provocar dor e inchaço nas articulações. A zika, por sua vez, pode causar febre baixa e vermelhidão nos olhos.

PREVENÇÃO

Apesar da falta de chuvas nessa época do ano, é importante lembrar que o mosquito transmissor dessa doença se reproduz muito mais rápido no calor. Isso porque, o período reprodutivo do mosquito fica mais curto e ele se reproduz com maior velocidade.

Para não ser picado pelo mosquito é preciso combate-lo. É importante manter os ambientes e recipientes limpos e sem acúmulo de água, que favorecem a sua proliferação e lembrar também de deixar a caixa d’água bem fechada e realizar a limpeza regularmente; retirar dos quintais objetos que acumulam água; cuidar do lixo, mantendo materiais para reciclagem em saco fechado e em local coberto; e eliminar pratos de vaso de planta ou usar um pratinho que seja mais bem ajustado ao vaso.

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Tangará – Homem mata companheiro após desentendimento na Vila Horizonte

Um homicídio acaba de ser registrado na Vila Horizonte,...

Quase 1/4 do território brasileiro pegou fogo nos últimos 40 anos

Quase um quarto do território brasileiro pegou fogo, ao...

4 melhores dicas para pintar as paredes de casa

Você não precisa gastar rios de dinheiro para dar...
Feito com muito 💜 por go7.com.br