segunda-feira, 22 abril 2024
- Publicidade -
Dengue
23 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Kichute, Bamba, Rainha e Montreal: o que aconteceu com as marcas de tênis que bombaram nos anos 80

A EXAME separou cinco marcas que bombaram nos anos 1980 e te conta o que aconteceu com cada uma delas

Se na cabeça a moda eram os mullets e na parte de cima do corpo, as ombreiras, nos pés, a sensação dos anos 1980 eram os tênis coloridos e vibrantes de marcas que ainda fazem parte da memória das pessoas.

Empresas nacionais como Kichute, Bamba, Rainha e Montreal lideravam o desejo de garotos e garotas numa era em que a palavra de ordem era ousadia, e as cores vibrantes eram tão essenciais quanto a trilha sonora de uma fita K7.

Depois, marcas internacionais foram ganhando mais espaço no mercado (e nos pés) brasileiros, e as empresas nacionais perderam sua força – pelo menos até recentemente, quando uma onda nostálgica fez algumas delas voltarem ao radar.
A EXAME separou cinco marcas que bombaram nos anos 1980 e te conta o que aconteceu com cada uma delas. Boa viagem no tempo.
Kichute

A Kichute foi uma marca brasileira de calçados esportivos bastante popular nas décadas de 1970 e 1980. O tênis foi lançado em 1970 pela Alpargatas, aproveitando a popularidade do tricampeonato mundial conquistado pela seleção brasileira de futebol.

A empresa ficou conhecida por produzir um tênis simples, mas bastante robusto, principalmente para a prática de esportes como futebol e vôlei.

No auge da sua popularidade, no final dos anos 1970, o Kichute chegou a vender mais de nove milhões de pares por ano, o que o fazia um dos calçados mais rentáveis da Alpargatas.

No entanto, ao longo dos anos, a marca enfrentou desafios, incluindo mudanças no mercado de calçados esportivos e evoluções nas preferências dos consumidores.

No início dos anos 2000, a marca já não estava mais tão presente no mercado. Sua derrocada foi acompanhada da entrada de novas marcas importadas de tênis esportivos.

Em 2022, o Grupo Alexandria anunciou ao mercado que faria um retrofit para voltar com a Kichute como uma marca digital, sem lojas físicas. À época, disse que a estimativa era lançar o produto em 2023, mas os calçados ainda não estão à venda.

Conga

A Alpargatas também tinha outra marca que bombava nos anos 1980: a Conga. Lançada em 1959, a marca estourou nos anos 1960 e 1970 – e seguiu como uma das mais vendidas nos anos 80.

No início dos anos 1990, a gigante de calçados descontinuou o modelo, também por causa da concorrência com produtos estrangeiros que se popularizaram no final do século passado.

Hoje em dia já não é mais uma marca, mas um modelo de calçado que é usado por diversas empresas, como Arezzo, Anacapri e Mr. Cat.

Bamba

Fechando a trinca de sucessos lançados pela Alpargatas estava o Bamba, lançado pouco depois do Conga.

Inspirando nos All Star, o tênis nacional era de lona e solado de borracha. Assim como o norte-americano All Star, o Bamba tinha várias cores e podia ser usado por meninos e meninas.

O produto foi descontinuado à mesma época do Conga, no início dos anos 1990, e por motivos semelhantes: os preços dos calçados estrangeiros caíram ou começaram a ser produzidos por aqui mesmo, o que aumentou a concorrência e dificultou a vida dos tênis nacionais.

 Nos anos 2000, ele voltou ao mercado com novas cores e formatos, aproveitando a onda retrô. Em 2022, a mesma empresa que anunciou o retorno do Kichute disse que faria um retrofit do Bamba, mas o produto ainda não foi lançado.

Tênis Rainha

Criado em 1934 pelas mãos do fabricante Saad&Cia, o Tênis Rainha se desenvolveu usando um processo à época pioneiro no mercado de manufatura, com a tecnologia de autoclave.

O sucesso nos pés da molecada, porém, aconteceu bons anos depois, quando a Alpargatas comprou a empresa, em 1978. Com isso, a marca deixa de ser apenas um artigo de luxo a passa a ser uma marca de grandes volumes, focando no modelo esportivo.

“É a primeira marca esportiva a fechar contrato de patrocínio com uma equipe, a Pirelli”, diz o site da companhia. “Por meio de ações inovadoras como esta junto ao esporte, a marca contribui para a profissionalização do vôlei e torna-se símbolo da década de 1980”.

Em 2015, a marca foi adquirida pela BR Sports, do Grupo Sforza, liderado pelo empresário Carlos Wizard Martins. O mesmo grupo é dono da Topper.

Até hoje, atua com e-commerce e com lojas físicas em São Paulo e Minas Gerais.

Tênis Montreal

Essa marca ficou famosa não por ser da Alpargatas, mas pela propaganda que o apresentador Silvio Santos fazia dos tênis no seu programa Domingo no Parque. Lá, a criançada, numa cabine acústica, tinha que escolher (sem saber) se trocava algum outro produto por um “Tênis Montreal”.

A marca foi vendida e sua produção passou para Nova Serrana, em Minas Gerais. Nas redes sociais da empresa, as últimas atualizações são de 2015. O site do grupo já não está mais no ar.

Daniel Giussani

Daniel Giussani – Repórter de Negócios

Formado em jornalismo pela UFRGS, escreve sobre negócios e empresas desde 2019. Foi repórter em coluna de economia no jornal Zero Hora e na Rádio Gaúcha. Está na Exame desde 2023

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Custo para produzir milho em Mato Grosso atinge cerca de R$ 3,3 mil por hectare

Conteúdo/ODOC – O custo da produção do milho alta tecnologia...

Número de denúncias de violência contra idosos cresce em 2024

O vídeo de uma mulher tentando sacar um empréstimo...

WhatsApp GB: navegando pelos prós e contras

O WhatsApp GB tornou-se popular por oferecer mais recursos...
Feito com muito 💜 por go7.com.br