domingo, 26 maio 2024
- Publicidade -
Dengue
25.4 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Há mais de 35 anos, alguém guardou 7.000 PCs da Apple para vender mais tarde – mas a empresa os recuperou e os enterrou em um aterro sanitário

Ele comprou, guardou, atualizou e quando foi revender, a Apple pegou de volta para jogar fora

Recentemente, relatamos sobre 2.200 computadores que ficaram em um celeiro acumulando poeira por cerca de 20 anos antes de serem vendidos no eBay. Hoje apresentamos um caso semelhante que aconteceu há mais de 35 anos.

Na década de 1980, um certo Bob Cook comprou 7.000 computadores Lisas restantes da Apple. Mas antes que ele e sua empresa Sun Remarketing pudessem vender os dispositivos, a Apple interveio, pegou de volta, mandou desmantelá-los e enterrá-los em aterro sanitário.

O que exatamente aconteceu com os Lisas?

Comecemos pelo princípio: em 1983, foi lançado o Apple Lisa. O modelo foi um dos primeiros computadores pessoais que podiam ser operados com um mouse em um ambiente gráfico e com interface de usuário. Steve Jobs trabalhou no Lisa de 78 até 82, quando saiu para o projeto Macintosh.

Apesar de todas as inovações, o Lisa não foi um sucesso, mas sim um fracasso. Por um lado, isto se deveu ao enorme preço de US$ 10.000. Por outro lado, o sistema também apresentou vários problemas, conforme relata o portal Mac-History.

Apple Lisa (Imagem: YouTube/alker33)

O sistema operacional Lisa OS já foi projetado para multitarefa. Porém, o processador embutido, um Motorola 68000 com cinco megahertz, ficou sobrecarregado. A unidade de disquete também apresentava problemas técnicos e não funcionava de maneira confiável.

No total, o GameStar relata que foram vendidas apenas 30 mil unidades, mas um vídeo do portal The Verge fala em 80 mil. Além dos computadores da IBM, houve também concorrência interna do Macintosh por US$ 2.500, lançado em 1984. Ridley Scott dirigiu o lendário comercial:

Descontinuação do Projeto Lisa e venda para Bob Cook

Em 1985, a Apple finalmente descontinuou o projeto Lisa. No entanto, cerca de 7.000 deles ainda estavam armazenados. Como a Apple não queria vender esses Lisas, a empresa recorreu a um velho amigo – Bob Cook.

Cook originalmente queria construir uma vida como vendedor de novos produtos Apple. No entanto, como os negócios não iam bem, ele teve uma nova ideia: vendeu computadores antigos a preços mais baixos, em vez de produtos atuais.

Ele demonstrou com sucesso o conceito com sua empresa Sun Remarketing usando o Apple III, outro fracasso da empresa. Ele comprou um total de 3.500 Apple IIIs por um preço “camarada” e os revendeu a preços relativamente baixos.

Os Lisas foram atualizados

Mas Bob Cook tinha planos maiores para o Apple Lisa. Para que os aparelhos, que já estavam tecnicamente desatualizados, pudessem acompanhar a modernidade, ele os atualizou. Até o sistema operacional MacWorks Plus era completamente novo, emprestado do sistema operacional Macintosh Plus mais atual do Macintosh.

O GameStar relata que US$ 200 mil foram gastos na reforma geral dos PCs, que, além do sistema operacional, também incluiu uma unidade de disquete melhor (para 800 Kbytes de armazenamento de dados), aumento de RAM (dois MB em vez de um ou meio MB) e um disco rígido maior (20 MB).

A Sun Remarketing chamou o computador com upgrade de Lisa Professional. Mas antes que os dispositivos pudessem realmente ser vendidos, a Apple interveio inesperadamente em 1989 e retomou todos os computadores. Aparentemente, a empresa tinha uma cláusula escrita nos contratos de vendas com Bob Cook que incluía o direito de recuperação.

Por que a Apple recolheu e enterrou o Lisa?

Conforme mostrado na história publicada pelo The Verge, todas as 7 mil unidades do Lisa foram recolhidas na Sun Remarketing, destruídas e enterradas em um aterro sanitário em Logan, no estado de Utah, nos EUA. Outras fontes, como Wikipedia e Mac-History, falam de 2.700 dispositivos que desapareceram no subsolo.

Um recorte de um jornal da época foi mostrado no vídeo do The Verge. Nele, a própria Apple disse ao jornal em 1989 que a destruição dos Lisas teria sido boa para os negócios. O artigo do noticiário afirma que, ao destruir os computadores, a empresa poderia receber cerca de US$ 34 em benefícios fiscais para cada US$ 100 de valor depreciado. Além disso, a Apple disse que teria que pagar pelo serviço nos dispositivos, mesmo que eles fossem vendidos e atendidos pela Sun Remarketing.

Sistema do Lisa foi atualizado pela Sun Remarketing (Imagem: YouTube/The Verge)

Porém, o GameStar relata que Bob Cook não pensa assim. Ele presume que a Apple simplesmente queria apagar os Lisas da memória coletiva das pessoas. Um fracasso poderia não ter se enquadrado na imagem que a Apple queria transmitir ao mundo exterior. Independentemente da motivação, o meio ambiente sofreu com a decisão de enterrar os PCs em vez de reciclar peças.

Perguntas abertas

Não está claro se Bob Cook foi compensado pela Apple pelo investimento financeiro que ele fez na atualização dos Lisas. Além disso, como já mencionado, há a questão da discrepância sobre os números de computadores Lisa enterrados (2.700 ou 7.000?). Uma possível explicação para essa diferença de informações é que talvez Bob Cook já havia vendido várias unidades antes da Apple pegar de volta.

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Jogos hoje (26/05/24) ao vivo de futebol: onde assistir e horário

Confira onde assistir ao vivo aos jogos de futebol...

MPF investiga irregularidade na exploração de diamantes em MT por empresa de ucranianos

O procurador da República Guilherme Fernandes Ferreira Tavares instaurou...

Desastres afetam 6,1 milhões de pessoas em 10 anos no Estado

Mais de 6,1 milhões de mato-grossense já foram afetados...
Feito com muito 💜 por go7.com.br