quinta-feira, 13 junho 2024
- Publicidade -
Dengue
19.5 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Esposa diz que se machucou sozinha; "ferimentos foram causados por outra pessoa", afirma perícia

 

O jornalista Lucas Ferraz, na tarde desta terça-feira (20), negou, mais uma vez, ter agredido a esposa, de 20 anos, após uma festa da emissora onde trabalhava. Ele é investigado por violência psicológica, lesão corporal e ameaça pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, de Tangará da Serra, e foi demitido, após o caso.

Em depoimento à Polícia Civil, a mulher disse que se feriu sozinha e negou a versão que ela mesma havia apresentado à Polícia Militar, durante os atendimentos na UPA do município, quando foi atendida com ferimentos no rosto. O delegado responsável pelo caso, Gustavo Espíndola de Souza, afirma que a perícia indicou que as características dos machucados indicam que foram causados por outra pessoa.

“Eu não agredi ou toquei em um fio de cabelo da minha esposa, jamais o faria. Eu me sinto magoado, porque sou apaixonado pela minha esposa e pelo meu trabalho. A condição clínica dela [segundo ele, diagnosticada com ansiedade e problemas psiquiátricos] sempre foi segredo porque não diz respeito a terceiros”, contou.

O jornalista ainda não foi ouvido pela Polícia Civil e, conforme o delegado, tem passagens criminais por violência doméstica e lesão corporal. Ferraz também negou as agressões anteriores e disse que enfrenta uma “batalha judicial” com a ex-mulher. Reforçou, ainda, que nunca esteve preso e que prestou os esclarecimentos à polícia, na época.

“Querem me sacrificar, me colocar como agressor e como bandido. Eu perdi meu emprego e minha esposa está abalada psicologicamente”, falou.

Áudios e relato de testemunhas

Áudios da atual mulher de Ferraz em que o acusa das agressões e o relato de testemunhas que presenciaram o episódio, além de vídeos, prints de mensagens trocadas entre os envolvidos e os laudos médicos irão compor o inquérito policial, segundo o delegado. As investigações continuam mesmo sem a representação da vítima contra o suspeito.

“O crime tem que ser elucidado. Uma lesão corporal simples, não depende da representação da vítima para a gente investigar. Agora, a Lei Maria da Penha prevê que se a lesão for entre marido e mulher não precisa de representação dela por causa dessa condição de vulnerabilidade”, explicou.

Como tudo começou

Lucas Ferraz era apresentador da TV Vale, em Tangará da Serra, e estava na festa de fim de ano da empresa com a mulher, de 20 anos. Eles moram juntos. Na confraternização, segundo a polícia, eles tiveram uma briga que teria sido causada por uma crise de ciúmes do jornalista, que, conforme o boletim de ocorrência, agrediu a jovem com socos.

Com o rosto machucado, ela foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tangará da Serra por pessoas que estavam no evento. Entre elas, o chefe de Ferraz. Durante o atendimento, a vítima contou ao médico que havia sido agredida e a Polícia Militar foi acionada. Segundo os policiais, no registro da ocorrência, a vítima tinha vários hematomas no rosto. Porém, na segunda-feira, em depoimento à Polícia Civil, negou que Ferraz a agrediu.

Após a repercussão do caso, o jornalista postou um vídeo nas redes sociais negando as agressões.

“Tem gente que quer prejudicar a vida dos outros, quer prejudicar a carreira dos outros, família dos outros. Tem muita gente que torce contra para que o cara seja uma pessoa errada, torta. Me respeita, tenho minha esposa, tenho minha família, vão procurar o que fazer”, disse.

O Grupo Agora Comunicação informou que o apresentador foi demitido também na segunda-feira (19). Em nota, disse ainda que é contrária a qualquer tipo de violência, em especial, contra a mulher.

 

 

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Feito com muito 💜 por go7.com.br