segunda-feira, 4 março 2024
- Publicidade -
Banner Topo
22.5 C
Nova Olímpia
- Publicidade -
abaixo de ultimas notícias

Brasil é o quarto país no mundo com o maior número de extorsões de dados virtuais

 

O Relatório Fast Facts, divulgado pela empresa de cibersegurança Trend Micro, mostra que o Brasil é o quarto país com maior registro de casos de ransomware, uma forma de extorsão em ambientes digitais.

Segundo os dados, o país sofreu mais de 8 milhões de casos deste tipo de ameaça virtual no primeiro semestre de 2022. No ranking, o Brasil ficou atrás apenas de Taiwan, Japão e Estados Unidos. O último citado lidera a lista com 21% de todos os casos mundiais.

Casos de ransomware consistem basicamente em cibercriminosos que atacam dispositivos, bloqueando a tela, ou criptografando os dados da vítima, pedindo dinheiro para resgatar os dados roubados.

Ao fazer o recorte destes casos, o setor mais afetado foi o setor governamental, que registrou 3,8 milhões de casos de ransomware. Os setores de educação, da indústria, de seguros e de saúde também figuram na lista, entre os segmentos mais visados pelos criminosos.

Extorsão e ‘sexting’

undefined

O Brasil lidera o ranking de ameaças de extorsão por e-mail, incluindo os de cunho sexual, chamados de “sexting”, que consistem na divulgação de conteúdo íntimo, levando em consideração os endereços de IP únicos. O país é seguido pelos Estados Unidos e pela Índia. 

O Relatório também mostrou a tendência de alta no número de ataques cibernéticos ao redor do mundo. Nos seis primeiros meses do ano, foram mais de 63 bilhões de ameaças. Em junho, último mês observado, foram mais de 11,4 bilhões de ataques. A maior parte delas, 7,8 bilhões, ocorreram via e-mail.

O Brasil, neste recorte, não apareceu no top 5 dos países mais atacados por e-emial. Neste quesito, Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e Rússia lideram o ranking.

Cibercrime

O Relatório também mostrou a tendência de alta no número de ataques cibernéticos, observada até março, começou a oscilar a partir de abril, quando teve ligeira queda, subindo um pouco em maio e caindo novamente em junho, quando foram detectadas um pouco mais de 11,4 bilhões de ameaças, sendo a grande maioria – 7,8 bilhões – via e-mail (68% das ameaças detectadas).

- Publicidade -

Compartilhe

Popular

Veja também
Relacionados

Salários menores e ascensão são desafios de mulheres na TI

Considerada uma das áreas mais promissoras da atualidade, com...

Jovens são sequestrados e mortos por membros de facção

Jakson Francisco de Souza, 19 e Ludinei Kennedy Paixão...

Monitoramento é prejudicado por qualidade e baixo efetivo

Por meio de sinal de celular e utilizando dois...

Biocombustíveis são fundamentais para a transição energética e MT é protagonista

Biocombustíveis têm papel fundamental na transição energética para uma...
Feito com muito 💜 por go7.com.br