Nova Olimpia (MT), 08 de dezembro de 2021 - 00:05

? ºC Nova Olimpia - MT

Artigos

23/11/2021 09:47

LUDICIDADE: O BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE: O BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

 

 

                                                                       SANTOS, Ione Dias de Oliveira¹

                                                                       NASCIMENTO, Luciana Sirleide²

                                                                       ARAÚJO, Sônia Cristina de Souza³

 

RESUMO

 

O artigo elaborado tem como tema de linha de pesquisa, “Ludicidade: o brincar na educação infantil’’, pois a brincadeira faz parte da vida da criança, sendo parte importante na sua construção cognitiva. Visto que, quando a escola começa a fazer parte da vida dela, o brincar se torna importante para seu desenvolvimento e também é como instrumento essencial para construção do saber, porém, muitas vezes não é usada de forma que traga um aprendizado significativo, sendo permitido somente na hora do intervalo sem um objetivo especifico para agregar o conhecimento. Desse modo, o intuito desse artigo é fazer do brincar base para o aprendizado, desenvolver o convívio social, respeitar a natureza da criança entre outras que favoreçam a educação. Ao conteúdo abordado são agregadas as disciplinas interdisciplinares, baseadas na construção do conhecimento, físico, cognitivo e social através de conceitos lúdicos, incluindo jogos, brinquedos e brincadeiras na educação infantil, reforçada teoricamente por autores como: Piaget o qual trabalha com o jogo pela assimilação ou acomodação e Vygotsky que vê no jogo a possibilidade de sempre estar pela busca do novo.

Palavras – Chave:  Educação Infantil. Ludicidade. Socialização.

 

 

INTRODUÇÃO

 A criança é o foco principal do ensino da educação infantil, por isso é preciso usar de algo que a estimule, que ela já conheça. A escola é um ambiente diferente e o professor além de todo desenvolvimento que será proporcionado pode torna-la familiar, através de jogos, brinquedos e brincadeiras.

Portanto, o artigo que tem como tema, Ludicidade: o brincar na educação infantil, baseia-se na pesquisa referente ao uso de jogos, brincadeiras na educação infantil, para chegar se a conclusão do quanto a escola precisa investir nesse tipo de ensino.

 “...Ser percebido como uma atividade essencial e potencializadora do desenvolvimento, que proporciona a criança durante seu processo a capacidade de ler o mundo adulto, opinando e criticando-o”. (BARROS,2009, p.54-55).

 Nesse intuito, coloca características naturais da criança como base para o aprendizado cognitivo, físico e social da mesma, no qual a criança é um dos principais focos do ensino na educação infantil.

 DESENVOLVIMENTO

  Para dar base teórica ao artigo primeiramente vamos saber o significado da palavra “lúdico”, a sua origem vem da palavra “ludos” que quer dizer jogo, porém, essa palavra evoluiu levando em conta as pesquisas sobre psicomotricidade.

   Ao adotar outros papeis na brincadeira, as crianças agem frente a realidade de maneira não liberal, transferindo e substituindo suas ações cotidianas pelas ações e características do papel assumindo, utilizando-se de objetos substitutos (BRASIL, 1998.p.2).

  De modo que deixou apenas ter o sentido de jogo, o lúdico faz parte da atividade humana tendo suas características na espontaneidade, funcionalidade e sendo satisfatória.

O lúdico é algo prazeroso e intenso, essencial para a base do aprendizado. A ação de brincar, segundo Almeida (1994), é algo natural da criança e por não ser uma atividade sistematizada é estruturada.

Assim, acaba sendo a própria expressão de vida da criança, como diz RIZZI E HAYOT (1987) para a mesma perspectiva quando afirmam “o brincar corresponde a um impulso da criança”.

Nesse sentido satisfaz uma necessidade interior, pois, o ser humano apresenta uma tendência lúdica. Desse modo nota-se que o brincar é natural na vida da criança podendo ser explorado no ambiente escolar, trazendo satisfação nessa nova etapa da sua vida.

Para Almeida (1997) o marco da questão da ludicidade é a Grécia, onde Platão já afirmava que os primeiros anos da criança deveriam ser ocupados com os jogos educativos, praticados pelos dois anos em jardins da infância.

Desde muito tempo o ato de aprender a brincadeira era usado, reforçando ainda mais a importância das atividades lúdicas, o brincar dá a criança diversas capacidades fundamentais para o seu desenvolvimento, pois ao brincar ela interage com seu próximo, criando situações de aprendizados, informações e experiências.

O jogo infantil é caracterizado normalmente pelos sinais de prazer ou da alegria da criança participante, pois ao brincar ela sorri e se diverte, processo esse que traz efeitos positivos para o desenvolvimento corporal e social da criança.

 A arte pode desempenhar papel significativo no desenvolvimento das crianças. O foco de aprendizagem é a criança dinâmica, em desenvolvimento, em transformação, a qual se torna cada vez mais cônscia de si própria e de seu meio. (LOWENFELD, 1970, p.33) 

A ludicidade trabalha na vida da criança em vários aspectos, não só na questão das disciplinas do eixo educacional, mas interagir e de forma positiva no seu caráter como um cidadão educado na forma de agir com as pessoas.

A criança é um ser complexo, com suas próprias características com uma forma especifica de observar o mundo de modo muito singular que fornece perspectivas para transformar o mundo.

Perspectivas que devem ser entendidas dentro do seu estágio de vida, neste sentido a escola não complementa ou molda a criança mais sim proporciona condições para que se desenvolva plenamente.

Segundo Oliveira (2000) o brincar não significa apenas divertir-se sem fundamentos e razão, caracterizando-se como uma das formas mais complicadas da criança comunicar-se consigo mesmo e com o mundo.

Ou seja, o desenvolvimento dá-se por meios de trocas experimentais mutuas estabelecida durante toda sua vida, assim através do brincar a criança pode desenvolver capacidades importantes.

Como por exemplo, a atenção a memória a imitação, a imaginação entre outros que propiciam a criança o desenvolvimento de determinadas áreas das personalidades.

Em sua teoria Vygotsky (1998), partiu do princípio que o sujeito se constitui nas relações com os outros por meios de atividades caracteristicamente humana.

Mediadas por ferramentas técnicas, nesta perspectiva a brincadeira infantil assume uma posição privilegiada para análise do processo de constituição do sujeito rompendo com a visão tradicional de que está é uma atividade natural de satisfação de instintos infantis.

 Apropriar-se de novos conhecimentos, surge nas crianças através do brincar e por intermédio da brincadeira, das atividades lúdicas atua simbolicamente nas diferentes situações vividas pelo ser humano.

Reelaborando sentimentos, conhecimentos, significados e atitudes, podendo assim preparar-se para a vida e seus diversos desafios, sem ter diretamente vivenciado as situações em si.

Nota-se, portanto a importância do brincar no desenvolvimento da criança de zero a seis anos de idade, uma vez que além do surgimento da identidade é durante este período que se dá um maior desenvolvimento cognitivo.

As atividades consideradas lúdicas representadas pelos jogos, brinquedos e dinâmicas diversas, são manifestadas no cotidiano das pessoas é, portanto desde o início da humanidade.

Brincar é a oportunidade de desenvolvimento psicomotor, assim a criança experimenta, descobre, inventa, exercita, e confere suas habilidades, independentemente de suas condições físicas, cognitivas, sensoriais, origem socioeconômica, raça ou religião.

Conforme Brasil ressalta dizendo que:

A criança tem o direito de ser compreendida e protegida devem ter oportunidades para seu desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social de forma sadia e normal, em condições de liberdade e dignidade. As leis devem levar em conta os melhores interesses da criança. (Brasil,1959)

 O jogo é uma atividade que contribui para o desenvolvimento da criatividade da criança, tanto na criação como também na execução. Os jogos são importantes pois envolvem regras como ocupação do espaço e a percepção do lugar.

Até o primeiro ano de vida as janelas escancaradas são as dos sentidos, contar histórias por músicas na vitrola agarrar, beijar, brincar com a fala é estímulos que ajudam o aperfeiçoamento das ligações neurais das regiões sensoriais do cérebro.

É importante que as crianças manuseiem os livros, os brinquedos pois nesse momento acontece a concretização da aprendizagem a criança gosta e precisa ter acesso as brincadeiras de naturezas diversas possibilitando a formação de cidadãos criativos e inteligentes.

Formando cidadãos que aprendam a conviver com o outro e com as diferenças o desenvolvimento é otimizado com tendência a se tornarem adultos mais responsáveis, alegres e capazes de lutar por seus objetivos.

Piaget, 1998 diz que: 

acredita que os jogos são essenciais na vida da criança, de início tem-se o jogo de exercícios que é aquele em que a criança repete uma determinada situação por puro prazer por ter apreciado seus efeitos ele também afirma que a infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano. E a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança sendo por isso indispensável a pratica educativa (Piaget, 1998,p.314).

 Rebatendo o que diz Piaget, em relação as atividades lúdicas, Vygotsky mesmo sendo um defensor do educar brincando, mostra que nem em todas as brincadeiras a criança está satisfeita.

Ao brincar a criança assume os papeis e aceita as regras das próprias da brincadeira executadas imaginariamente tarefas para as quais ainda não está apta ou sente como agradáveis na realidade.

Sendo assim, o professor deve possuir e desenvolver várias competências dentre elas as mais importantes que é ser lúdico, criativo, comprometido, preparado, organizado, tolerante, aberto para perguntas, narrador e ainda acrescentar novas competências que surgem com o desenvolvimento tecnológico para modernizar a sua maneira de ensinar levando a criança a satisfação do brincar.

Vygotsky (1984) atribui relevante papel ao ato de brincar na constituição do pensamento infantil, é brincando, jogando que a criança revela seu estado cognitivo visual, auditivo, tátil, motor, seu modo de aprender e entrar em uma relação cognitiva com o mundo de eventos, pessoas, coisas e símbolos.

A mágica, o sonho e a fantasia englobam no imaginário infantil e são traduzidas pelos movimentos pelo gesto espontâneo revelado por ações ingênuas ou até involuntárias.

Vygotsky enfatiza a questão do ensino que deve valorizar a criança como ser que pensa, raciocina, deduz, mas também como alguém que sente, emociona, deseja, imagina e sensibiliza.

Insere a afetividade, também como ponto essencial na aprendizagem da criança o brincar intensifica a percepção infantil que por sua vez direciona seu pensar de maneira cada vez mais equilibrada, favorecendo aprendizagem ao longo do seu crescimento.

Ao desenvolver sua potencialidade, a criança aprende a interagir vencendo suas dificuldades tomando desafio que estimula novas descobertas, sendo que as vezes no brinquedo a criança é livre para determinar suas próprias ações.

A finalidade de uma escola lúdica é desenvolver na criança habilidades físicas e intelectuais, tornando-os conscientes, criativos, críticos, promovendo a interação social e despertando assim acima de tudo um gosto pelo ambiente educativo e escolar, pela busca de conhecimentos criando uma ligação forte entre o aluno e a escola.

O brincar é como uma necessidade básica da criança assim como a nutrição, a saúde, a habitação e a educação. A escola precisa despertar estimular e considerar a criança como criadora e produtiva. O educador deve fazer do lúdico uma arte, instrumento para promoção da educação fazendo com que a criança use sua própria expressão. 

Para Vygotsky a brincadeira faz de conta traz grandes benefícios ao desenvolvimento infantil, entre eles está o surgimento da capacidade de distração, observa-se que crianças na faixa etária da educação infantil dificilmente conseguem dissociar a realidade física a sua volta de um modo que mostre contraditório a ela.

Como por exemplo, podemos citar a dificuldade que a maioria das crianças nessa faixa etária apresentaria, se fosse levada a repetir a frase “João está em pé” se tem um colega chamado João e este sentado em sua carteira.

Quase a totalidade das crianças ao repetir a frase mudaria para “João está sentado”, neste sentido que Vygotsky mostra a importância da brincadeira onde a criança entra em um mundo imaginário, o faz de conta e cria sua realidade lúdica onde ela pode ser o motorista de ônibus, um policial, um professor dando aula ou um bombeiro apagando o incêndio.

Esse processo imaginativo pode ser ainda mais produtivo quando as crianças brincam em grupo, a interação entre ideias e vivencias de cada um ocorre de maneira sinergética tomando a realidade imaginada mais complexa e diversificada aonde acordo e normas vão surgindo imitando os acontecimentos do dia-dia.

Tal prática além de socializar a criança e prepará-la para lidar com diferentes situações da vida cotidiana ainda estimula a capacidade de abstração, com isso o aluno vai gradativamente sendo capaz de dissociar a realidade física que o cerca das simbólicas e abstrações.

A socialização promovida pelas atividades lúdicas também se configura como importante fator para o desenvolvimento da criança, tal fator possui impacto direto no processo de ensino e aprendizagem como mostra Piaget afirmando que o conhecimento humano é essencialmente coletivo e a vida social (Piaget, 1973 p.17).

Observou-se que a aplicação de métodos lúdicos na educação infantil varia de acordo com cada instituição escolar e também, com a prática individual de cada docente. Nesta perspectiva se faz importante relacionar as práticas lúdicas em sala de aula com o desenvolvimento da criança, bem como, identificar a relação entre emprego de tais práticas e facilitação do processo de construção da criança inserida na educação infantil.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

  Através do lúdico, as crianças podem viver momentos mágicos, o que por fazer parte natural da infância, quando levado a sala de aula pode fazer do aprendizado um momento único.

Este artigo teve como objetivo visar a liberdade da criança no sentido  de usar sua criatividade onde possa, inventar, descobrir e construir seu conhecimento de forma natural, para que assim no seu ambiente familiar haja continuações desse desenvolvimento, que a aprendizagem se faça constante na vida dela.

REFERÊNCIAS

 ALMEIDA, Paulo Nunes de. “Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos”. 5ª ed.São Paulo:Loyola, 1994.

 ALMEIDA, A. R. S. A emoção e o professor: um estudo à luz da teoria de Henri Wallon. Psicologia: Teoria e Pesquisa 1997.

 BARROS, Flavia Cristina Oliveira Murbach de. Cadê o Brincar? :da Educação infantil para o ensino Fundamental. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

 Brasil. Ministerio da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasilia. MEC/SEF. Vol 1. 1998.

 LOWENFELD, Victor. A criança e sua arte. Trad. Miguel Maillet. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

 OLIVEIRA, Vera Barros de (org). O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

 PIAGET.Jean. A formação do símbolo na criança. 2. ed., Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

_________ Psicologia. 2° Ed. Rio de Janeiro: Forense, 1998.

 RIZZI, Leonor e HAYDT, Regina C. Atividades na educação da criança. Ática. São Paulo,1987.

 VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. 6° ed. São Paulo, SP. Martins

Fontes Editora LTDA,1998.

ZANLUCHI, Fernando Barroco. O brincar e o criar: as relações entre atividade lúdica, desenvolvimento da criatividade e Educação. Londrina: O autor, 2005.

 ---------------------------

¹ Professora da Educação Básica, habilitada em Pedagogia pela UFMT (NEAD), pós-graduada em Alfabetização e Letramento pelo Instituto Prominas. Email: idola13@hotmail.com

²Professora da Educação Básica, habilitada em Pedagogia pela UNOPAR, pós-graduada em Educação Infantil e Alfabetização, pelo Instituto Afirmativo. Email: lucianasirleide@hotmail.com

³Professora da Educação Básica, habilitada em Pedagogia pela FAFISUL(Faculdades Integradas de Fátima do Sul), pós-graduada em Interdisciplinaridade, pelo Instituto ICE (Instituto Cuiabano de Educação). Email: soniacristina2011@hotmail.com

 


Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo